Oposição e maior bancada da Câmara de Curitiba têm novas lideranças

O quadro de lideranças políticas da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) teve duas mudanças importantes nesta semana. A liderança da oposição, que estava vaga após a saída de Carol Dartora (PT), eleita deputada federal, agora passará a ser exercida pela vereadora Giorgia Prates Mandata Preta (PT), recém-empossada no Legislativo. Formalmente, na CMC, a oposição é constituída pela federação partidária PT-PV, composta por 4 dos 38 vereadores do Legislativo.

Na organização política da CMC, a liderança da oposição faz o contraponto à liderança do governo, exercida por Pier Petruzziello (PP) desde 2017, no encaminhamento das votações em plenário. Além do direito à orientação de voto das bancadas, as lideranças têm papel fundamental na condução dos trabalhos parlamentares, pois somente quando há acordo entre elas as regras do Regimento Interno podem ser flexibilizadas.

Maior bancada
O partido União Brasil registrou, por requerimento (042.00009.2023), a mudança da liderança da bancada na Câmara de Curitiba. O posto antes ocupado por Sabino Picolo agora passa a ser exercido pelo vereador Serginho do Posto, sendo Rodrigo Reis e João da 5 Irmãos, respectivamente, os vice-líderes. Resultado da fusão entre DEM e PSL, a bancada da União Brasil é a maior dos nove blocos parlamentares da CMC.

Assim como Giorgia Prates substituiu Dartora na liderança da oposição (042.00010.2023), o posto deixado por Renato Freitas na liderança do PT, que assumiu uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná, será ocupado por Angelo Vanhoni (042.00012.2023). Ele também é o novo vice-líder da federação PT-PV, que manteve Professora Josete à frente do grupo político.