Discussão política em grupo termina com ameaças em universidade de Curitiba

Aluno bolsonarista teria ameaçado levar arma para o campus da faculdade

Uma confusão em um grupo de WhatsApp virou caso de polícia na Universidade Positivo, em Curitiba, neste domingo (4). A briga começou porque um aluno que é apoiador do presidente Bolsonaro (PL) criticou duas postagens feitas sobre o presidente Lula. Depois da discussão as aulas do curso de Direito aconteceram de forma remota nesta segunda-feira (5), segundo os estudantes.

Os alunos usam o grupo de WhatsApp para trocar informações sobre as aulas; no entanto, uma pessoa enviou duas notícias relacionadas ao ex-presidente Lula (PT) e foi advertida para evitar manifestações políticas.

Na sequência outro aluno, que é apoiador do presidente Bolsonaro, se manifestou. A partir daí houve discussão envolvendo os colegas de curso. Uma estudante disse que o rapaz havia atrapalhado a aula ao levar amigos que não são do curso para a sala. Ele reagiu chamando a moça e suas amigas de “cadelas”, o que exaltou ainda mais os ânimos.

Os estudantes alegam que o colega bolsonarista afirmou que levaria uma arma para o campus. Nesta manhã uma viatura da Polícia Militar (PM) foi até a Universidade Positivo (UP), no Ecoville. Não houve prisões.

O rapaz apoiador do presidente, por outro lado, nega que tenha falado em armas, defende que sua fala foi tirada de contexto e afirma ter sido ameaçado de agressão pelos outros alunos. Ele também registrou um boletim de ocorrência.

O Plural questionou a UP sobre a situação e recebeu uma nota. Leia a íntegra:

“A Universidade Positivo informa que, assim que teve conhecimento do ocorrido, acionou as autoridades competentes e está prestando auxílio a todos os envolvidos, com o objetivo de preservar sua comunidade acadêmica. A UP declara que preza pela pluralidade de ideias e respeito entre as diferentes opiniões, pois, só assim, é possível formar cidadãos críticos e responsáveis e reitera que repudia qualquer ato de violência e discriminação, dentro e fora do ambiente acadêmico. Reforçamos, ainda, que as atividades acadêmicas seguem normalmente nesta segunda e terça-feira, dias 5 e 6 de setembro”