Deltan Dallagnol lidera em cenário de pesquisa para prefeito de Curitiba

O ex-deputado federal Deltan Dallagnol (Novo-PR), que foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em maio deste ano, aparece em um dos cenários de pesquisa eleitoral para a candidatura à Prefeitura de Curitiba para as eleições de 2024 em primeiro lugar, com 15,5% das intenções de voto. Este é o único cenário em que o deputado federal Luciano Ducci (PSB-PR), ex-prefeito da cidade, não lidera a corrida pelo órgão municipal.

No primeiro cenário, Luciano Ducci lidera a corrida com 25,6% das intenções de voto. Neste agrupamento, a deputada federal Rosangela Moro (União-SP) aparece com 15,3%, seguida de Eduardo Pimentel com 14,7%, vice-prefeito da cidade. O ex-deputado Paulo Martins aparece na quarta posição, com 11,4% das intenções de voto. A deputada federal Carol Dartora (PT-PR) e a deputado estadual Maria Victória (PP) têm 6,6% das intenções de voto cada. Neste cenário, votos nulos e brancos somam 11,4%, outros 8,4% de eleitores não souberam ou não responderam.

No segundo cenário, Deltan Dallagnol lidera a corrida eleitoral, com 15,5%, seguido do deputado estadual Nely Leprevost (União), com 14,7% das intenções de voto. Neste cenário, Luciano Ducci aparece na terceira posição, com 14,5% dos votos. O deputado federal Beto Richa (PSDB-PR) tem 13,7% das intenções, seguido de Eduardo Pimentel, com 10,8%. Paulo Martins aparece com 7,5% das intenções; Carol Dartora, 5,5%; e Maria Victória, 4,1%.

Neste enquadramento, votos nulos e brancos somam 7,3%, e 6,5% dos eleitores não souberam ou não responderam.

Em um terceiro cenário, Luciano Ducci volta a liderar a corrida eleitoral, com 19,8%. Neste mesmo panorama, Nely Leprevost aparece na sequência, com 16,3% das intenções, seguido de Dallagnol, com 15,8%. Eduardo Pimentel tem 12,4% neste cenário; Paulo Martins, 8,2%; Carol Dartora, 6,1%; e Maria Victória 5,6%.

A pesquisa foi feita com 805 eleitores do município de Curitiba, com 16 anos ou mais, entre os dias 26 e 29 de outubro. O nível de confiança é de 95% com margem de erro estimada em 3.5 pontos percentuais.

A pesquisa está registrada no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o nº 3122/23.