Homem que esfaqueou pessoas em bar de Curitiba segue preso preventivamente, decide Justiça

O homem de 27 anos suspeito de invadir um bar no bairro Campina do Siqueira, em Curitiba, e esfaquear quatro pessoas (das quais uma faleceu) seguirá preso. Nesta segunda-feira, apenas dois dias depois do atentado, registrado na madrugada do último sábado (22 de julho), a Justiça negou o pedido de liberdade do agressor, que vem alegando ter surtado e não se lembrar do momento do ataque.

Em sua decisão, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) ressalta que a prisão preventiva, neste caso, tem o intuito de evitar maiores problemas para a sociedade – ou seja, considera o risco do suspeito voltar a cometer algum crime caso fique em liberdade.

Um dos proprietários do Distrito 1340, onde ocorreu o ataque, Fernando Donnabela disse em entrevista à Band que o agressor estava fumando um cigarro e tomando cerveja antes do ataque. Ele teria reagido depois de um segurança pedir que ele não acendesse o cigarro num lugar proibido. “Ele respirou, abriu uma malinha, pegou uma faca, deu uma facada nas costas de um rapaz e saiu esfaqueando outras pessoas”, relatou o empresário.

O ataque provocou a morte de Mauri José Glus, de 49 anos, que foi sepultado na tarde de ontem. Um homem de 55 anos foi também internado em estado grave no Hospital Evangélico e já recebeu alta, enquanto outras duas pessoas tiveram apenas ferimentos leves.

Por meio de nota, o bar onde ocorreu o incidente lamentou o ocorrido e prestou solidariedade às vítimas e familiares

Câmera de segurança flagra ataque
Uma câmera de segurança registrou o ataque a clientes do bar. As imagens mostram o suspeito sentado num canto, com facas expostas sobre a mesa. Um garçom então passa pelo local, parece falar com ele e sai. É quando o suspeito leva algo à boca, pega uma das facas e inicia o ataque.

A primeira pessoa a ser atingida é um homem que estaa de costas para o suspeito. Em seguida, o agressor parte para cima de uma mulher que estava sentada ao lado da primeira vítima.

Quando foi preso em flagrante, ainda na madrugada de sábado, o suspeito portava seis facas, todas apreendidas. O primeiro advogado de defesa chegou a informar que ele estava com os utensílios porque seria chefe de cozinha e havia saído do trabalho.